DISPUTA PELA CADEIRA DO DR MAURO(1).pdf
Adobe Acrobat Document 261.5 KB

Adiado o evento que deveria ser realizado no último dia 28 de março em Ouro Preto do Oeste para o dia 24 de junho.

Carta convite aos Prefeitos mais bem cotados em suas funções.

evento realizado pelo Instituto Phoenix em Ouro Preto do Oeste
evento realizado pelo Instituto Phoenix em Ouro Preto do Oeste na churrascaria Ranchão as margens da -BR 364

 

Carta Convite

Sr. Prefeito

 

 

         Ref. Evento Sócio-político

 

         Cumpre-nos informar que, de acordo com a nossa mais recente rodada de pesquisa de avaliação de gestão pública, VS. Senhoria pontuou com soberba entre os (52) prefeitos municipais do Estado, destacando-se na preferência popular entre os (20) mais atuantes Alcaides Rondonianos.

Assim sendo, ousamos convidá-lo a receber a distinta comenda de Administrador de Excelência, outorgada pela Editora Pesquisar em parceria com nosso conceituado Instituto, numa justa homenagem, ao vosso prodigioso trabalho realizado a frente dessa prefeitura, nestes primeiros dois anos de gestão.

Salientamos ainda, já estarmos enviando-lhes o convite oficial, caso haja interesse de vossa parte, queira nos confirmar presença com devida antecedência, para maiores esclarecimentos e reserva de mesa.

Sem outro particular para o momento, renovamos nossos efusivos cumprimentos.

 

Atenciosamente:

Maio/2011


Juvenil Coelho

Diretor Executivo

 

Júri de ex-diretores do Urso Branco começa na próxima semana

Porto Velho, 25 de fevereiro de 2011 Iniciado, nesta sexta-feira, 25, o julgamento de Weber Jordano Silva, diretor do presídio Urso Branco na época em que 27 presos foram mortos por outros detentos, durante uma rebelião em janeiro de 2002. Jordano é acusado de ter tomado a decisão de transferir para celas dentro do pavilhão preso ameaçados, que estavam no chamado "seguro". O ato acabou em matança. O juiz presidente da sessão, Aldemir de Oliveira, fez o sorteio dos jurados e em seguida a inquirição de duas testemunhas de defesa. A acusação dispensou as cinco testemunhas que tinha convocado. Das cinco relacionadas pela defesa, apenas duas foram ouvidas, um ex-diretor da unidade e um agente penitenciário. Os depoimentos duraram cerca de duas horas. O Ministério Público do Estado é representado pelos promotores de Justiça Marcelo Guidio e Leandro Gandolfo. Já a defesa do ex-diretor esta a cargo dos advogados Antônio Francelino dos Santos, José Otacílio de Souza e Hiram Cesar Silveira. Às 10h20 começou a leitura de peças, feita por servidores do cartório do 2º Tribunal do Júri. O próximo passo será a argumentação da acusação e da defesa. A previsão é de cinco horas de debates, incluindo réplica e tréplica. Jordano é o último acusado a ser julgado no Caso Urso Branco. 19 detentos foram julgados no ano passado, três foram absolvidos e 16 condenados. Na segunda fase do Júri, um preso, José Raimundo Pereira da Costa (Zé Galinha), foi condenado na segunda-feira. Na quarta-feira, 23, começaram os julgamentos dos diretores da unidade. Rogélio Pinheiro Lucena e Edilson Pereira da Costa foram absolvidos, este último a pedido do próprio Ministério Público. Os ex-diretores do presídio Urso Branco, Rogélio Pinheiro Lucena, Edilson Pereira da Costa e Weber Jordano Silva, e mais um preso, José Raimundo Tavares da Costa, envolvidos na chacina ocorrida em Janeiro de 2002, irão a júri popular a partir do dia 21 de fevereiro, segunda-feira, conforme publicado na pauta do 2º Tribunal do Júri de Porto Velho. Eles não foram a julgamento em 2010, junto com o demais réus, porque entraram com recurso contra a decisão de pronúncia do juiz Aldemir Oliveira. Com a negação do pedido no segundo grau de jurisdição, o magistrado procurou marcar os julgamentos num mesmo período, assim como ocorreu em maio do ano passado para proporcionar um melhor acompanhamento da sociedade, órgãos ligados aos direitos humanos, assim como a Corte Interamericana e os meios de comunicação. “Toda a infra-estrutura montada naquela ocasião será garantida pelo TJRO”, esclareceu o juiz Ênio Salvador, nomeado como auxiliar de Aldemir Oliveira nesta segunda fase. As seis primeiras sessões foram transmitidas ao vivo pela internet, a exemplo do que ocorrerá na terceira semana de fevereiro, no julgamento dos ex-diretores do presídio. Como na primeira vez, as condições de acesso ao Tribunal de Juri serão as mesmas para a imprensa. Para não atrapalhar o andamento do ritual jurídico, a entrada das equipes jornalísticas será restrita. Não será permitida a presença, na sala do juri, de equipamentos (máquina fotográfica e filmadoras). A assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça, que junto com a coordenadoria de informática é responsável pela transmissão, fornecerá imagens (fotos e filmagens) aos órgãos interessados em fazer a cobertura jornalística. A acusação ficará a cargo dos promotores Leandro Gandolfo e Marcelo Guidio. Já a defesa será feita pelo defensor público Magno Jorge Oliveira, no caso do preso, e os advogados Josenilton Lino Barreto, Gilvane Veloso Marinho e Antônio Francelino dos Santos. O apenado José Raimundo Tavares da Cosa, o Zé Galinha, está foragido do sistema penitenciário, mas como houve tempo hábil de convocá-lo por edital, ele será julgado como réu ausente. Histórico Nas seis sessões iniciadas em 5 de maio, 14 réus foram julgados, onze foram condenados e três absolvidos. Outros dois réus estavam foragidos, mas foram intimados por edital e julgados em sessões posteriores; ambos condenados. A pauta de julgamentos do 2º Tribunal do Juri de Porto Velho para a semana de julgamento do caso: dia 21- José Raimundo Tavares da Costa (Zé Galinha) defensor público: Magno Jorge Oliveira dia 23 – Rogélio Pinheiro Lucena advogado: Josenilton Lino Barreto dia 24 – Edilson Pereira da Costa advogado: Gillvane Veloso Marinho dia 25 – Weber Jordano Silva advogado: Antônio Francelino dos Santos Fonte: TJ

MELHOR PRO CIDADÃO - Está quebrado o monopólio do transporte coletivo em Porto Velho-RO!!!

QUEBRA DO MONOPÓLIO EM PORTO VELHO-RO
QUEBRA DO MONOPÓLIO EM PORTO VELHO-RO

23/8/2010 - Capital
Neste dia 23 de agosto, na sessão ordinária da Câmara Municipal, desta manhã, 14 dos 16 vereadores derrubaram, pelo voto, o monopólio das empresas de transporte público coletivo da Capital aprovando, em segunda votação, o Projeto de Emenda à Lei Orgânica, de iniciativa do vereador Hermínio Coelho(PT) encampado por 1/3 dos membros da Casa.

- Não podemos nos esquivar de votar um projeto que vem para ajudar o povo, disursou o vereador Zequinha Araújo(PMDB) e sentenciou. “Nem o prefeito Roberto Sobrinho vai se esquivar de sancionar uma medida tão importante para a população”. O chefe do executivo ao homologar a norma aprovada pelo Poder Legislativo, terá 6 meses para realizar licitação abrindo oportunidade para, pelo menos, mais uma empresa participar no serviço de transporte coletivo urbano gerando competitividade na oferta de melhor qualidade para o usuário.

O voto dos líderes

- Não só vamos apoiar e votar favorável a uma lei que vai ajudar a população, como vamos fiscalizar a execução e aplicação da lei, antecipou a Líder do Governo na Câmara, vereadora Epifânia Barbosa(PT). “Finalmente todo essa luta e esse esforço é no sentido de que o transporte urbano de Porto Velho tenha a qualidade que todos desejamos e o usuário tenha o conforto e o respeito no cumprimento dos horários estabelecidos na rotas”. Ela defende, entretanto, que os alunos da rede fundamental de ensino tenham as escolas mais próximas de suas casas, sem a necessidade de ter que usar ônibus para ir às aulas. O vereador Cláudio Carvalho(PT), Líder da Bancada do Partido dos Trabalhadores, acompanhou o vota da Líder do Executivo e votou favorável.

O vereador Ted Wilson(PV), defendeu e obteve a adesão dos pares para a apresentação, inclusão na pauta, votação e aprovação de Emenda Aditiva estabelecendo o critério de um ônibus para cada 2 mil habitantes. Desta forma, a frota vai se adequando, automaticamente, ao crescimento da população sem carecer de aprovação de lei para este fim.

As razões da quebra do monopólio

- Se o prefeito Roberto Sobrinho não faz sua parte, nós estamos fazendo a nossa, quebrando o monopólio que tanto prejudica o nosso povo, anunciou o vereador Cláudio da Padaria(PC do B). Em seguida criticou o valor de R$ 2,30 da tarifa; dos compromissos não cumpridos de integração; preço reduzido no final de semana; falta de linha corujão para atender usuários na madrugada e a não implantação do sistema de integração.

- Esses vereadores não têm compromisso com empresários nem dono de empresa de ônibus. Nosso compromisso é com o povo de Porto Velho, garantiu Ramiro Negreiros(PMDB). E criticou o vice-prefeito que, “sendo do meu partido homologou o valor da tarifa de R$ 2,30. Ele, como filho da terra, não cuidou da gente da terra. Ficou do lado dos empresários”.

A vitória e a vingança

O presidente da Casa Hermínio Coelho(PT) comemorou o feito confessando estar “nervoso e sentindo um frio na barriga”. E informou: “conheço essa gente há 20 anos. Fui cobrador de ônibus. O meu melhor emprego. Mas na última quarta feira me demitiram. Eu já esperava por isso”. E relembrou toda a trajetória de luta por um transporte público de qualidade, por respeito das empresas para os trabalhadores do setor. “Esse serviço já era ruim quando o prefeito Roberto Sobrinho assumiu. E ficou pior. Já tivemos ônibus com arcondicionado, hoje não existe mais”. E sentenciou: “vamos acabar com essa pouca vergonha e colocar uma terceira empresa para atender ao nosso povo”. 

Os novos desafios

Pela legislação em vigor, o aumento de tarifas é de competência exclusiva do prefeito. Mas a vereadora Ellis Regina(PC do B) quer mudar isso. E já vem tentando desde o começo de 2009 quando apresentou um projeto de lei em que ficaria com poder de discutir e aprovar ou não os aumentos de tarifas do transporte coletivo. Naquela ocasião, mesmo tendo o parecer da Procuradoria da Casa a favor, a proposta foi rejeitada na Comissão de Constituição e Justiça. Ela agora volta à carga. Dessa vez, ao que indica, com o apoio dos demais parlamentares. 


Já a vereadora Mariana Carvalho(PSDB) começa a trabalhar a idéia de gratuidade do transporte público para os estudantes do ensino fundamental. Hermínio também anunciou mais algumas adequações. 

Ted Wilson também vem defendendo a criação de corredores exclusivos para os ônibus coletivos. “Assim, eles terão condições de  transportar os trabalhadores com mais agilidade”. E sugere a implantação de baias para as paradas dos coletivos.

CASO DO GOLEIRO BRUNO (ELIZA SAMUDIO)

News

AMOSTRA DE CERTIFICADO PHOENIX
AMOSTRA DE CERTIFICADO PHOENIX

RÉPLICA DA COMENDA "EMÉRITO ÉDIL CAUSA PÚBLICA"

 

A amostra de certificado, é uma réplica do que será entregue aos agraciados no dia 28 de novembro, na churrascaria Ranchão em Ouro Preto do Oeste.

 

TSE
TSE
TSE adia julgamento do governador Ivo Cassol
17/11/2009 - Politica

 

O gabinete do ministro Arnaldo Vercisani, do Tribunal Superior Eleitoral, confirmou na manhã desta terça-feira (17) que o julgamento do governador Ivo Cassol e do vice-governador João Cahulla, que trata de recurso contra a expedição de diploma, foi adiado para a próxima terça-feira (24) devido ao fato de que parte dos ministros não poderá estar presente na Corte na tarde de hoje.

O governador Ivo Cassol cumpre sua agenda de trabalho normalmente e permanece na capital do estado despachando com secretários e assessores, onde aguarda com serenidade o julgamento do caso, reafirmando sua inocência no processo em questão.